O BIM É AGORA!

O BIM (Building Information Model) é um conceito que pode ser utilizado em diferentes ferramentas e softwares e constitui uma forma de projetar, indo além do simples traçado de linhas bidimensionais ou modelagens tridimensionais. É uma forma de projetar que atribui informação junto ao processo de desenho, criando modelos mais próximos à realidade, com informações sobre tempo de execução e custos associados. Cada elemento inserido em uma modelagem BIM traz consigo suas informações, as quais são agregadas às listas de materiais, tornando o processo de orçamentação da edificação o mais real possível. Além disso, auxiliam na visualização e entendimento do empreendimento, possibilitando a vista do empreendimento por qualquer ângulo necessário.
Apesar de ser um conceito já bastante antigo, vem ganhando popularização no mercado da construção civil no Brasil mais recentemente com tendências de popularização tendo em vista o advento do Decreto Presidencial nº 9.377 que torna obrigatório o uso do BIM em projetos da construção civil a partir de 2021.
modelagem bim
O BIM representa uma revolução na forma de se projetar, saindo do ambiente 2D no qual estávamos acostumados a desenhar linhas para representar os elementos como paredes e tubulações, e migrando para um modelo tridimensional mais próximo da realidade, onde, dependendo do grau de especificidade, é possível adicionar informações aos elementos modelados, tais como características do material, modelo, fabricante, preço, além de ser possível associar em quais momentos cada elemento entra na obra, facilitando cronogramas físico-financeiro e análises de custos, minimizando perdas.
Durante a fase de concepção de projeto é comum que haja interferências entre as disciplinas de projeto, como por exemplo, uma tubulação hidráulica cruzando com um eletroduto na parede ou então uma tubulação de esgoto que se choca com a tubulação da rede de hidrantes, necessitando assim de compatibilização para que estes problemas sejam corrigidos. Através da modelagem é possível fazer essa compatibilização entre as diversas disciplinas de maneira muito simplificada, evitando problemas futuros que necessitariam de correções em obra.

LEVEL OF DEVELOPMENT

Dentro da modelagem BIM, de maneira a organizar as etapas do desenvolvimento de um empreendimento, bem como os níveis de entrega de um projeto, foram desenvolvidas pela AIA (Instituto Americano de Arquitetura) classificações de níveis de detalhamento, os chamados LOD’s (Level of Development). O AIA definiu 5 níveis de LOD, sendo eles:
Equivale a uma representação gráfica simplificada do modelo, quase sem informações ou detalhes, apenas com informações preliminares como as formas gerais da construção. Neste nível o modelo é representado como um estudo de massa, e os seus elementos por símbolos, linhas e elementos genéricos. Em fases convencionais de projeto seria o equivalente a fase de estudo preliminar.

LOD 100

LOD 200

Neste nível os elementos possuem dimensões, formas, quantidade e localização próximos à realidade, podendo ser vinculadas outras informações ao modelo. Equivale a etapa de anteprojeto.
Neste nível há a necessidade de uma representação gráfica precisa e coordenada, adequada para o levantamento de custos, com os elementos possuindo dimensões, formas, quantidade e localização precisas, então iniciam-se os detalhamentos dos projetos executivos, memoriais de cálculo, maquetes eletrônicas e orçamentação. A coordenação e compatibilização entre disciplinas é realizada nesta etapa.

LOD 300

No LOD 400 os elementos permitem ser utilizados para gerar documentos de fabricação e/ou montagem para a construção, desta forma, é possível estruturar as fases da obra trabalhando com planejamento, cronograma físico-financeiro e documentação legal.

LOD 400

LOD 500

Por fim, o LOD 500 corresponde à etapa do modelo como será construído, quando todos os custos, fornecedores e especificações para cada material já devem estar inseridos no projeto. O modelo e os dados associados são adequados para a manutenção e operações da instalação.
Pode-se perceber que graficamente o LOD vai aumentando à medida que são adicionadas novas informações ao modelo. Entretanto, cada nível de desenvolvimento requer um conhecimento específico, por isso da necessidade de profissionais habilitados.
A modelagem em BIM permite que vários profissionais trabalhem no mesmo projeto ao mesmo tempo e de forma coordenada, evitando erros de informação e retrabalhos.
Vale destacar que apesar de serem feitas comparações entre os LOD’s e as fases de um projeto, por questões de exemplificação, não existe necessariamente uma relação direta entre eles, podendo existir, num mesmo projeto, elementos em níveis diferentes de desenvolvimento, pois sistemas distintos são desenvolvidos em ritmos diferentes. Por exemplo, um projeto pode ter sua arquitetura muito bem detalhada, com definições de revestimentos de paredes, enquanto o projeto estrutural pode estar em fases menos detalhadas de projeto, apresentando apenas a geometria básica e os sistemas hidráulicos podem estar apenas detalhados como linhas, sem maiores informações.
Além do já citado, a modelagem em BIM associa novas dimensões de detalhamento de um projeto à medida que novas informações vão sendo adicionadas, abaixo vamos falar um pouco sobre cada uma delas:
sistemas bim

3D - FORMA

Tradicionalmente são conhecidas três dimensões de desenho para um projeto, 1D que seria o ponto, 2D que seriam as linhas e o 3D que seria um modelo tridimensional com todas as características geométricas da edificação. Aqui são introduzidos os conceitos de model checking, ou seja, a verificação da aderência do modelo a requisitos de projetos e de normas e a análise.

4D - TEMPO

Aqui é introduzido o cronograma de execução da obra, onde é possível definir prazos de compra e entrega de matérias em obra, bem como fazer o acompanhamento da mesma.

5D - CUSTOS

Nesta dimensão são introduzidas as informações referentes a custo dos elementos presentes no modelo, permitindo a extração de quantitativos detalhados. Com isto é possível fazer uma estimativa de custos, bem como, associado ao tempo de execução, gerar o cronograma físico-financeiro do empreendimento.

6D - DESEMPENHO

Neste nível são introduzidos conceitos relacionados ao desempenho da edificação, tais como desempenho energético, desempenho de sistemas e desempenho sustentável.

7D - MANUTENÇÃO

Por fim, este nível introduz a última etapa da obra, ou seja, o pós-obra, permitindo aos gestores o acompanhamento e a manutenção durante todo o ciclo de vida da edificação. Nesta etapa, ainda não muito usada no Brasil, é que se enquadra a norma de desempenho para edificações, a NBR 15575.